Teste da Orelhinha


O teste da orelhinha é um dos exames obrigatórios que deve ser realizado em recém-nascidos antes mesmo que eles deixem a maternidade. O principal objetivo do exame é avaliar se está tudo bem com a audição do bebê e detectar de modo precoce algum tipo de grau de surdez. O teste, que é prático, rápido e totalmente indolor, deve ser feito preferencialmente nas primeiras 48 horas de vida do pequeno. Isso porque, quanto antes for o diagnóstico, maiores são as alternativas de tratamento.

Teste da Orelhinha

Há uma lei federal que determina a obrigatoriedade do exame, motivo pelo qual ele deve ser realizado tanto por hospitais particulares como públicos logo após o nascimento da criança.

Hoje a incidência de problemas auditivos em recém-nascidos é relativamente alta: a cada 1.000 bebês, 1 ou 2 nascem com determinado grau de surdez – mais uma razão para o teste da orelhinha ser tão importante.

As mais importantes questões relacionadas ao teste da orelhinha você vai conhecer a seguir.

• Quando o exame deve ser realizado?

Como já dito anteriormente, o teste da orelhinha precisa ser realizado já nos primeiros dias de vida do pequeno, ou seja, antes mesmo de ele receber a alta na maternidade.

Em caso do diagnóstico de alguma coisa errada, o teste precisa ser refeito até que o bebê complete três meses, a fim de ter a certeza da necessidade (ou não) de tratamento específico.

A duração do teste costuma variar entre 5 a 10 minutos, sendo ele extremamente rápido e simples. Não há nenhum tipo de contraindicação e ele pode ser realizado até mesmo durante o sono do bebê (para evitar qualquer tipo de incômodo).

O exame da orelhinha é inócuo e não conta com intervenções invasivas.

teste da orelhinha

• Como o exame é realizado?

O exame da orelhinha é realizado do seguinte modo: o médico pediatra ou especialista coloca um equipamento específico nos ouvidos do bebê, sendo este muito similar aos famosos fones de ouvido.

Esse aparelho é conectado a um programa que rapidamente irá identificar problemas de origem auditiva, como é o caso de surdez, dificuldades na fala ou até mesmo no aprendizado.

Caso o teste da orelhinha identifique algum tipo de doença auditiva neste primeiro momento, os pais devem levar o bebê o quanto antes a um médico especialista, ou seja, o otorrinolaringologista, responsável pela indicação do melhor tratamento com base na enfermidade detectada.

A lei que determina a obrigatoriedade do teste da orelhinha faz parte do “Programa de Triagem Auditiva Neonatal”, que visa avaliar como está a audição dos pequenos. O programa é altamente eficaz principalmente no que se refere à prevenção e tratamento (caso necessário) de doenças auditivas, sendo ele presente não só no Brasil como também em vários outros países do globo.

• Principais fatores de risco para a surdez

Os principais fatores de risco que podem levar à surdez em bebês de 0 a 30 dias de vida são:

– Peso abaixo da média;

– Predisposição familiar (histórico de surdez na família);

– Hiperbilirubinemia: doença que surge logo após o parto, quando o bebê fica completamente amarelo pelo aumento da produção de uma substância de nome bilirrubina;

– Síndromes neurológicas;

– Infecções intrauterinas.


•••