Como tratar cólica no bebê


Geralmente a cólica no bebê inicia dez dias após o parto, no período da manhã a criança apresenta-se mais calma, pois as cólicas costumam começar à tarde ou à noite. A cólica no bebê não tem apenas uma causa, portanto, não se pode fazer a mesma medicação para todos. Há medidas que podem ser tomadas para aliviar a cólica do bebê, como: gotas antiespasmódicas, virar a criança de bruços, compressa morna sobre a barriga, mudança de leite se caso o bebê não estiver sendo alimentado exclusivamente com leite materno e o clássico embalo. A cólica é um termo muito utilizado para descrever o choro incontrolável do bebê saudável.

Dicas para tratar cólica no bebê

 

Quais os principais sintomas da cólica no bebê?

Para saber se seu bebê está com cólica, você pode notar o seguinte:

– Ele tem crise de choro intenso e é muito difícil conseguir acalma-lo;

– Geralmente ele encolhe as perninhas e arqueia as costas para trás, estica-se e se espreme enquanto chora;

– Ele costuma soltar puns enquanto chora.

Quando o bebê não sente mais cólicas?

É verdade que a cólica no bebê pode deixar os pais em desespero, principalmente porque todos estão se adaptando à nova vida com o bebê. Mas a boa notícia, é que a cólica não é uma doença e costuma melhorar muito entre os 3 ou 4 meses de idade. As dores são mais intensas por volta de 6 semanas de vida.

cólicas no bebê

 

 

Causas da cólica no bebê

Na realidade não há causas comprovadas para a cólica no bebê, apenas hipóteses, que podem ser a intolerância à lactose ou à proteína do leite de vaca, para crianças que se alimentam de leite artificial, imaturidade na absorção de carboidratos, alterações na motilidade intestinal ou na microflora, erros de técnica de amamentação associados à ingestão elevada de ar, exposição pré e pós-natal ao tabaco. Como também há possíveis mecanismos inatos relacionados com o temperamento e alterações comportamentais dos pais que levariam à hiperexcitabilidade no recém-nascido.

Mas não se deve sempre atribuir o choro da criança às cólicas, outros fatores também devem ser levados em consideração, como fome, frio, calor, necessidade afetiva, fralda suja e outros.

Como evitar à cólica no bebê

Em muitos casos há possibilidade de evitar que o bebê tenhas cólicas nos três primeiros meses de vida. Busque manter o intervalo dos horários das refeições, tanto na alimentação natural como na artificial, evitando que o estômago esteja cheio ao receber a próxima refeição. Na alimentação com leite materno, a subalimentação que é o estomago vazio se contrai imediatamente, é responsável em muitos casos. Na alimentação artificial, evite mamadeiras mal preparadas. Não dê leite integral e farinhas. É importante observar se o bico está furado no tamanho adequado e se a mamadeira está sendo dada em boa posição. A temperatura do alimento também tem influência, no qual deve ser oferecido na mesma temperatura do corpo, e esteja atento, averiguando se o bebê não está engolindo ar durante a mamada, após as refeições é aconselhado colocar o bebê de pé, apoiado ao ombro, para que ele consiga arrotar. Tenha disciplina com a vida do bebê, evitando passeios em excesso, rádios e televisão com volume alto, muito falatório, pois isto pode excitá-lo, fazendo com que tenha crise de choro.

Quando o bebê apresentar sentir cólicas mantenha o bebê no colo o tempo que você puder, até que ele melhore, não se preocupe, isso não fará com que ele sinta necessidade de estar no colo o tempo todo.

cólicas no bebê

Algumas providências podem a serem tomadas, e que devem ser tentadas, são de natureza diversa, assim catalogadas:

Mecânicas

-Coloque o bebê de pé, ao colo, dando tapinhas de leve em suas costas, durante pelo menos cinco minutos.

-Coloque uma flanela aquecida no seu abdome, ou faça massagens leves com ajuda de substâncias oleosas ligeiramente aquecidas.

-Banho morno, massagens, ambiente calmo e tranquilo.

Alimentares

-Você pode trocar o tipo de fórmula, se estiver usando alimentação artificial, e se possível faça um teste durante uma semana com uma fórmula hipoalergênica, e se caso o bebê melhorar, a fórmula deverá ser mantida;

-Mamães que amamentam, devem evitar ao máximo bêbedas alcoólicas, pois podem provocar cólicas e mal estar no bebê;

-A exclusão do leite de vaca e derivados da dieta materna poderá ser benéfica no casos de mães alérgicas ou bebês com sintomas de alergia ao leite de vaca;

-Se caso o bebê não for alimentado com leite do peito, busque por mamadeiras que reduzam a ingestão de ar.

– Uso de dimeticona ou simeticona e analgésicos, aliviam a dor, porém, estes devem ser orientados pelo médico;

– Para bebês notadamente alérgicos, com manifestações cutâneas (urticária, eczema, estrófulos) ou digestivas, está indicando o uso de fórmula hidrolisada;

-Se a cólica do bebê persistir após os três meses de idade, o pediatra deverá investigar possíveis diagnósticos diferencias.

cólicas no bebê

As primeiras semanas com o bebê em casa tendem a ser muito estressantes, tanto para a mamãe, que por muitas vezes sente uma vontade imensa de chorar, quanto para o papai, que também pode se sentir um tanto abalado. Quando achar que não aguenta mais, peça ajuda a alguém que possa revezar os cuidados com o bebê. Mas mantenha-se calma, e lembre-se que o choro do bebê não é sua culpa, além do mais a cólica no bebê é passageira.


•••