Como planejar o futuro dos filhos


A maioria dos casais se planejam para dar um grande passo no relacionamento e decidem ter um filho. As famílias se programam para a chegada do pequeno, mas muitas ainda se esquecem de planejar o futuro do seu filho. Vários pais não sabem por onde começar e normalmente, quando pensam em juntar dinheiro, a primeira opção que surge é a poupança. Portanto, nem sempre esse investimento é o mais rentável. Acompanhe nosso conteúdo e saiba como planejar o futuro dos filhos!

Planejando o futuro dos filhos

Contratando um plano de saúde

O plano de saúde começa a ser uma necessidade fundamental desde o momento em que a mãe da criança descobre que estar grávida. O tratamento pré-natal não é somente uma medida de análise da saúde da mamãe, como também da criança em formação. Portanto, se você não tem um plano de saúde e sua companheira pensa em engravidar, vale muito a pena já verificar as operadoras desse serviço e ver qual o mais recomendado para seu perfil e orçamento mensal.

Se já faz uso de uma operadora de plano de saúde, você pode introduzir o bebê depois do nascimento sem nenhum tipo de custo e necessidade de renovação de carência. Isso pode ser composto com até 30 dias depois do parto. Passado esse prazo a inclusão também é composta, mas contará como uma nova adesão e será preciso aguardar todas as carências pré-determinadas por lei. Você encontrará um arquivo muito considerável que lhe orientará claramente sobre como identificar o melhor plano de saúde para seu pequeno com necessidades à curto e longo prazo.

Seguro de saúde/Seguro de Vida

Os seguros de saúde se fazem necessários somente em casos de viagem ou suporte de um serviço extra que o seu plano de saúde não cobre. Se você tem um bom serviço de operadora de plano de saúde, pode fazer o seguro somente como uma reserva de cuidado. É indicado que você busque, um seguro de vida para os pais, a fim de deixar o filho assegurado em caso de falecimento precoce.
Como planejar o futuro dos filhos

Planejamento financeiro

O planejamento deve ser iniciado nos primeiros dias de vida dos eu filho e como qualquer outro tipo de planejamento financeiro, apesar de organização, é muito importante estabelecer metas. Uma das grandes dúvidas é saber o quanto poupar. Sabe-se que não há como definir propriamente a quantia exata que os pais gastarão quando começarem a pagar a escola dos filhos, portanto, pode-se fazer uma estimativa.

A partir disso, pode-se determinar uma quantia mínima mensal a ser poupada. É muito importante ressaltar como em qualquer situação que envolva questões e gastos financeiros é necessário ter bom senso e adequar as economias aos ganhos da família e não comprometer mais de 25% do orçamento mensal com esse tipo de economia. Depois de estabelecer uma meta, procure ser fiel à ela e esqueça daquele dinheiro, que pode ser depositado em uma poupança ou destinado à aplicações que não permitem o saque do dinheiro dentro de um prazo mínimo. Outra dica é a de destinar parte de extras como férias e 13 salário para esse fim.

Outra excelente sugestão é a de abrir a poupança ou aplicação no nome dos pais. Esse tipo de atitude é uma forma de garantir que, futuramente, quando os filhos já estiverem maiores, o dinheiro poupado seja de fato destinado à educação e não para outros fins. Apesar disso, quando as crianças já estiverem grandes, convoque-as a auxiliar nas economias da casa. A educação financeira dos filhos sem dúvida ajudará a família a poupar e, portanto, garantirá uma poupança educacional muito boa.


•••